TRIBUTO AO NORDESTINO/PAULISTANO

O nordestino migrante
saiu de sua terrinha
prá ele coisa humilhante
pois foi com muita peninha
se despediu da filhinha
dizendo
eu voltarei num instante
Pegou o seu matulão
uma maleta de mão
saiu como aventurante
prá terras muito distante
tinha tristeza constante
e o coração torturante
 
Foram dias e muito chão
que ia…
ele sabia
chegar não saberia
aonde que viveria
que leito ele teria
será
talvez dormiria…?
com tanta dor que sentia
saudades de sua família
Chegou na cidade grande
SÃO PAULO era seu nome
não tinha nem sobrenome
chamaram-no
"O MATUTÃO"
Mas a vontade era grande
e tinha disposição
embora dormindo no chão
e apenas comendo pão
pensando a todo instante
serei um dia voltante
à minha terra distante
darei um grande abraço
na filha do coração
O tempo fôra passando
e as despesas aumentando
embora que trabalhando
ficava sem um tostão
para pagar lotação
O tempo passou depressa
notícias ele não tinha
nem carta expressa
lhe vinha
pois era um tempo pregresso
não se falava em progresso
comunicação
era em vão
E os anos sempre correndo
e ele continuando
o seu pãozinho comendo
enquanto dormia ao relento
Trabalho não lhe faltava
e o duro sempre que dava
mais pouco dinheiro ganhava
nem mesmo um nome te davam
pois continuava sendo
o tal "Sr. MATUTÃO"
E assim a terra distante
caiu no esquecimento
mas não no seu sentimento
pois era o que tinha na mente
Naquela cidade grande
fundou ali novo chão
embora que matutão
e enorme o seu coração
Como ele sempre dizia
"Faço das tripas coração"
sempre na sua oração
ao Deus Senhor da Criação
"Te peço meu Criador
dono da Grande Nação
forças prá esse matutão"
Não importava o tempo
se era de dia ou de noite
não tinha sequer passatempo
pois sono era "pernoite"
trabalhava feito jumento
e aguentando o açoite
Essa cidade tão grande
que ele um dia pensara
que era um paraíso
agora ele julgava
que era até degradante
pois ele como ajudante
de uma cidade brilhante
debaixo de sol escaldante
suor no corpo espalhando
enquanto na construção
de pitorescos e gigantes
chegando a ser avultantes
os grandes arranha-céus
somente era chamado
"MATUTO DA PARAÍBA"

E a cidade aumentando
com prédios e monumentos
mais ele sem documentos
não tinha sequer um assento
somente mãos no cimento
e já ficando demente
porque não tinha a semente
para uma vida decente
e ia ficando doente
mas sendo mero emergente
prá ele nada era urgente
Alguns decênios passados
e nada tinha ganhado
somente dor e maltratos
e agora bem desgastado
ficou na pedra sentado
pensando desencantado
"Se eu tivesse ficado
na terra de sol castigado
a minha terra querida
na certa que eu não teria
sido tão ultrajado"
Chegou então o progresso
e ele já bem bregresso
pensou então no regresso
depois de tanto pregresso
a vida pregou-lhe uma peça
pois ela não retrocede
O passado
havia levado
os seus antepassados
nem mesmo havia atestado
de endereço acertado
prá longe que viajaram
E ele o "MATUTO PARAÍBA"
ali
em sua terra querida
somente agora entendia
o quanto tinha perdido
no dia da sua partida
perdera a família
e a vida
Tornou-se um seresteiro
cantando com sua viola
embora não fosse festeiro
canta em todo terreiro
a tristeza que o assola.
 
EU x EU = EU

  

Este texto eu li no blog da amiga virtual com pseudônimo EU x EU = EU, ou nick, agora já nem sei mais, pois e o escritor virtual é nick ou pseudônimo?
Esta amiga virtual é bem recente, tive contato esta semana, e já copio o texto dela, com autorização, claro.
Com links p/ space dela, p/ postagem original e etc….
Ilustrações minhas.
Este povo sofrido, retirante, é quem constroi nosso país, e principalmente em São Paulo, é a principal força de trabalho utilizado na indústria, serviços e etc….
Anúncios

Sobre ricbrsp

Nascido em Lins/SP, criado na Capital paulista, formado advogado pela Unb (Brasília-DF), é autônomo em sampa, divorciado, vive com seus filhos. Ocupando meu espaço na web.
Esse post foi publicado em Poesia, versos, prosas, crônicas e etc.... Bookmark o link permanente.

3 respostas para TRIBUTO AO NORDESTINO/PAULISTANO

  1. Ricardo disse:

    Oi Felicidade,
    Só deu p/ ver seu perfil, space q é bom nada, precisa de autorização, já enviei. Assim, como vou comentar no seu space?
    Bjs…..

  2. Rosa Maria disse:

    Olá
    Me desculpe invadir seu espaço, mas te encontrei la na Raquel e peguei uma carona até aqui
    Muito bom este texto
    Tenha um lindo final de semana
    Abraços fraternos
    Felicidade

  3. DUDINHA disse:

    Ai que lindo…! O Tributo aos Nordestinos/Paulistanos ficou muito bem representado nas ilustrações, a Bandeira do Brasil… Que bom…!
    A história do crescimento de São Paulo tem muito a ver com o sofrimento, pelos quais passaram muitos nordestinos, não só os que se foram, como também os que ficaram no Nordeste.
    E hoje, contam-se os paulistanos que não tenha familiares nordestinos (ou de outros lugares).
    Obrigada meu amigo… Mas, ia esquecendo de dizer uma coisa: (meu nome é Maria Eduarda) rsss.

Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s